O dia que voltei aos Tingimentos Naturais

March 31, 2017

 

Faz tempo que estava pensando em voltar a experimentar tingimentos e Tie Dye, mas as coisas que eu encontrava pela internet estavam me desencorajando...

 

"Voltar a experimentar" quer dizer... já fiz isso antes, mas no laboratório da faculdade, com vários materiais e utensílios que seriam pouco prováveis de conseguir em casa. E quando comecei a pesquisar, vi que, além de achar muito pouco sobre o assunto, cada site ou artigo ensinava de uma forma diferente (e vários incluindo aquelas coisas impossíveis de achar por aí).

 

Então resolvi juntar tudo que tinha e testar meio na marra. Pensei também em organizar algumas dessas informações para compartilhar, logo disponibilizo aqui!

 

Bom, primeiro de tudo, por ser um experimento, é preciso anotar todos os detalhes possíveis... Eu tentei. E está aí o que fiz, se alguém quiser tentar também.

 

 

Fiz testes com açafrão e urucum, comprados em loja de tempero mesmo (aqui no Rio, comprei na Casa Pedro), o açafrão já em pó, e sementes de urucum. Para as sementes tem que ter uma preparação antes, para extrair o corante. O açafrão em pó foi usado direto como tingimento.

 

Bom... Mais um parêntese para lembrar que parte das "receitas" que eu tinha eram de artigos acadêmicos, com quantidades e proporções exatas, que não fui muito fiel... porque não tenho uma balança de precisão, e também porque acabei "jogando um pouco mais de tudo pra ter certeza que ia dar certo" (quem conhece meus "dotes" culinários pode imaginar essa parte). Mas é importante medir e seguir à risca quando se pretende tingir uma quantidade maior de peças, para ter resultados similares.

 

Tingimento com Açafrão

 

Então, adaptando as medidas, usei aproximadamente 50g de açafrão em pó para 2L de água, e o processo a partir daí foi o seguinte:

 

- Usar caldeirão (ou panela grande) de aço inox ou esmalte (nunca alumínio, que pode reagir com o corante e mudar a cor - como vão ver numa foto aí...)

- Ferver a água com o açafrão em pó por alguns minutos, abaixar o fogo e colocar o tecido a ser tingido.

- Deixar o tecido por aproximadamente 1 hora a 90 graus.

  * 90 graus, pra quem também não tem um termômetro, e não vai fazer em laboratório, é deixar em fogo baixo, quando a água está "quase fervendo" (Aparecem algumas borbulhas, mas ainda não é fervura. Sim, tem que ficar olhando...)

  * A partir de meia hora no fogo já tem um resultado, quanto mais tempo, mais intensa a cor.

- Acrescentar vinagre ou sal para fixar a cor (vinagre funciona melhor que sal, usei duas colheres grandes - dessa que aparece na foto abaixo - o indicado eram duas de sopa. rs)

- Depois de uma hora, tirar do fogo, esperar esfriar, tirar as amarrções se tiver feito Tie Dye, enxaguar os tecidos até a água sair transparente, e colocar pra secar.

- Depois de seco, lavar normalmente para verificar se a cor fixou (É melhor esperar um tempo antes da primeira lavagem, quanto mais tempo, melhor para fixação da cor). Nesse caso, eu lavei no dia seguinte. Não percebi quase nenhum desbotamento. E a cor ficou bem vibrante!

 

As amarrações antes do tingimento 

 

Tecido em cozimento no açafrão

 

 Amostras do tecido assim que tirei da panela (já vi que este do isopor não funcionou muito bem)

 

Não sei de onde veio este vermelho, provavelmente reação com o metal do tanque, onde deixei esta faixa enquanto desamarrava os nós dos outros (saiu depois de lavado e seco)

 

 Tecidos depois de lavados, ainda molhados

Resultado "mais ou menos" do Tie Dye com o isopor (o isopor era muito fino e rachou, e a amarração não ficou forte o suficiente... Mas não ficou mal, né?

 

 

Tingimento com Urucum

 

Este é o Urucum na natureza (foto retirada do site www.mundoboaforma.com.br)

 

Antes de começar, achei que seria mais fácil com o Urucum, e que a cor ia pegar melhor, mas nada disso... Tive alguns "erros de percurso" no processo, e não sei se por isso, ou se era normal, a cor ficou bem mais suave do que eu esperava. Mas no fim, gostei do resultado.

 

O processo é mais longo por ter que extrair o corante das sementes antes. Para extrair, é preciso deixar as sementes de molho em água fria de 12h a 24h, claro que deixei as 24h. 100g de sementes e água suficiente para cobrir todas elas.

 

 Sementes de Urucum de molho para extração do corante

 

No dia seguinte, ferver esta mistura por uma hora. ATENÇÃO: fique ao lado do fogão! Eu quase deixei queimar!!! Depois de fervido, esperar esfriar e coar com um pano.

 

Corante sendo coado

O corante depois de fervido e separado das sementes (acho que se não tivesse queimado seria mais vermelho. rs...)

 

Depois de coado, misturar mais dois litros para esta quantidade de corante (2L de água para 100g de sementes) e a partir daí, seguir o mesmo processo do tingimento com Açafrão: 90 graus por uma hora, adicionar vinagre, durante o cozimento, enxaguar e secar.

 

 Tingimento com Urucum

 

Como disse, achei o resultado lindo, mas bem mais claro do que eu imaginava antes. Mas também não desbotou nada depois da lavagem. Da próxima vez, vou tentar com a solução mais concentrada, e também com mordentes mais fortes (ingredientes para realçar e fixar a cor). Torçam! E se quiserem, podem mandar dúvidas por aqui também.

 

Resultado do tingimento com Urucum (ainda secando)

 

Resultado do tingimento com Urucum, depois de lavado e seco

 

Ah, sobre as amarrações do Tie Dye, vou fazer outro post assim que tiver melhores para mostrar...

 

Os resultados de todos!

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Posts Em Destaque

O dia que voltei aos Tingimentos Naturais

March 31, 2017

1/2
Please reload

Posts Recentes

May 3, 2018

September 19, 2017

September 9, 2017

Please reload

Arquivo